Dente quebrado – o que fazer em caso de acidentes?

Apesar dos dentes serem fortes, as vezes ao comer algo duro como um chocolate que ficou na geladeira, ou um pé-de-moleque, assim como ao cair podemos quebrá-lo. Devemos ter cuidado ao roer e morder determinados alimentos.
As primeiras horas do acidente são primordiais para salvar o dente. Pegue o dente quebrado lave com soro fisiológico, coloque o dente em um copo com leite até chegar no consultório do dentista. Também devem ser feitos exames se os tecidos não foram comprometidos pelo trauma.
Para aliviar dor, faça compressa com gelo na área do rosto onde o dente quebrou. Se há sangramentos, use gaze para estancar, e lave a boca com água fria que contraí os vasos. Se o dente quebrou por alimento duro, enxague a boca com água morna.
Quando o trauma não envolve a polpa dental, o tratamento é colar o fragmento. Em outros casos, é indicado tratamento de canal, restauração com coroa de resina. Em caso de um dente quebrado vá o mais rápido a um dentista.

Cuidados com a doença do beijo

Chega época de carnaval e os foliões se animam a beijar. Mas, se deve tomar alguns cuidados para não pegar doenças transmitidas pelo beijo. Várias doenças são transmitidas por vírus, bactérias e fungos, passados pela saliva como gripe, herpes, caxumba, entre outras.
Apesar, de serem doenças de curta duração e se curarem sozinhas, podem ocorrer complicações, como propagar a doença para outras partes do corpo. Para evitar pegar essas doenças, é recomendável não beijar, nem ter contato íntimo com desconhecidos, por não saber se a pessoa tem alguma doença contagiosa.
Mononucleose
Uma dessas doenças é a mononucleose, uma contaminação viral transmitida pelo beijo, também conhecida pela doença do beijo. Os sintomas podem aparecer em três dias. A doença causa dor de garganta, fadiga, cansaço, febre e aumento dos gânglios linfáticos. A pessoa pode transmitir a doença até um ano depois do contagio.
Herpes
A transmissão pode acontecer quando as lesões da doença não estão aparentes. A pessoa pode demorar até sete dias para apresentar a infecção.
Sifílis
Apesar de sua transmissão ser incomum por beijo, aumentam os casos depois do carnaval. Geralmente é transmitida pelo sexo oral. Ela é causada por uma bactéria, o sintoma normalmente é uma ferida na região genital, mas pode ocorrer na boca. O tratamento é feito com antibióticos.
Candidíase
A candidíase é conhecida como doença do sapinho. Quando a imunidade está baixa pode ser transmitida pelo beijo. O sintoma é o aparecimento de uma lesão avermelhada ou esbranquiçada na língua. Para tratar deve ser passado um antifúngico em pomada.

Manual orienta atendimento de profissionais da saúde em casos de violência

Os profissionais da saúde podem ajudar a identificar e denunciar casos de maus tratos aos pacientes menores de idade. Para orientá-los sobre a conduta a ser tomada nesses casos, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) criaram o Manual de atendimento às crianças e adolescentes vítimas de violência. O material está em sua segunda edição e pode ser acessado aqui. Continue lendo “Manual orienta atendimento de profissionais da saúde em casos de violência”

Resiliência: um caminho para o sucesso

Adaptar-se é condição essencial da humanidade

Resiliência é a palavra do momento. O vocábulo é usado nas mais diversas situações e não poderia ser diferente. Em um cenário econômico conturbado como o que estamos vivendo nos últimos anos, quem não desenvolveu a capacidade de lidar e superar os desafios e se adaptar às mudanças, certamente sucumbiu. Continue lendo “Resiliência: um caminho para o sucesso”

Respiração pela boca pode causar mau hálito

Respirar pelo nariz e soltar pela boca. Você certamente já ouviu essa recomendação em algum lugar. E também já deve ter aprendido durante as aulas de biologia que os seres vivos precisam respirar para viver. O processo de inspirar o oxigênio pelo nariz funciona como um combustível para o nosso corpo, que libera energia para garantir o funcionamento dos nossos órgãos dia e noite. Contudo, é comum encontrarmos muitas pessoas que fazem a respiração de forma errada, pela boca, e não pelo nariz. Continue lendo “Respiração pela boca pode causar mau hálito”

A influência da vitamina D nas áreas da odontologia

A vitamina D, produzida pelo sol e alguns alimentos, vem desempenhando um papel muito importante na odontologia através de sua influência direta na saúde bucal. Essa vitamina é apresentada de duas formas: a vitamina D2 de origem vegetal, e a vitamina D3 de origem animal, formada pela pele por meio da absorção de raios ultravioletas B. Continue lendo “A influência da vitamina D nas áreas da odontologia”

Saúde – Fio dental é a recomendação para uma higiene completa

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) esclarece a importância do uso do produto e aponta algumas dúvidas sobre a sua utilização na escovação

Um dos maiores aliados da higiene bucal é o fio dental. Ele alcança áreas em que a escova não chega promovendo a total limpeza da boca e por consequência protegendo-a de diversos problemas. Algumas pessoas, no entanto, ainda têm dúvidas em relação a sua utilização e sobre a variedade de modelos encontrados no mercado. Por isso, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) esclarece alguns pontos, lembrando sempre que as melhores orientações devem vir do cirurgião-dentista.30 Continue lendo “Saúde – Fio dental é a recomendação para uma higiene completa”

Aumenta a busca por planos odontológicos

Estudo mostra que brasileiros estão se preocupando cada vez mais com saúde bucal

A população brasileira está mais preocupada com a saúde bucal. É o que mostram os dados da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge). De 2011 a 2017, segundo a instituição, o crescimento de beneficiários de planos exclusivamente odontológicos foi de 39%, o que representa evolução média de 5,6% ao ano.

Continue lendo “Aumenta a busca por planos odontológicos”